Conversas com um assassino: as fitas de John Wayne Gacy

Conversas com um assassino: as fitas de John Wayne Gacy

Netflix Série
Assista agora
6.5

Feira

Dezenas de jovens desapareceram entre 1972 e 1978 em Chicago. A polícia atribuiu isso à angústia adolescente. A realidade era muito mais sombria. De Joe Berlinger vem Conversas With A Killer: The John Wayne Gacy Tapes

Sempre que o horror de um assassino em massa é desmascarado, muitos se perguntam como alguém pode se safar de tal mal por tanto tempo. A resposta é deprimente a mesma: eles atacam os vulneráveis.

Dezenas de jovens, a maioria homossexuais, desapareceram entre 1972 e 1978 em Chicago, Illinois. A polícia atribuiu isso à angústia adolescente. A realidade era muito mais sombria.

Do documentarista Joe Berlinger (O desaparecimento no Cecil Hotel) vem outra série que pretende cavar a mente de um serial killer. Seguindo sua série anterior de Ted Bundy, desta vez, imagens de arquivo abrangentes são enroladas em fitas de entrevistas policiais com o notório assassino, John Wayne Gacy.


Ao contrário das fitas de Ted Bundy – que eram uma porcentagem comparativamente baixa do conteúdo do programa – aqui há uma abundância de material decorrente de extensas entrevistas com Gacy enquanto ele estava sendo detido por suspeita de assassinato.

Eles revelam um homem arrogante e pomposo que parecia convencido de que poderia escapar das pilhas de corpos que estavam sendo metodicamente desenterrados debaixo de sua casa.

Como construtor de narrativas, Berlinger faz um ótimo trabalho ao unir todo o material. Entrevistas com vários investigadores, advogados e um sobrevivente são encadeadas através de imagens estruturadas para contar a história de Gacy.

Berlinger começa com o desaparecimento do adolescente Robert Piest em dezembro de 1978 (cuja investigação descobriria a extensão dos assassinatos violentos de Gacy) e usa isso como um ponto de ancoragem para girar enquanto explora o passado de Gacy até aquele momento.

Logo no episódio 2, o conteúdo se torna deprimentemente semelhante, com apenas os detalhes para continuar preenchendo as bordas.

Gacy era altamente ativo na comunidade de forma a alimentar seu ego, inclusive trabalhando como Pogo, o palhaço, para funções locais.

Ele buscou autoridade e poder e usou essa autoconfiança para diminuir as defesas dos jovens que contratou para seu negócio de construção ou dos jovens que pegou nas ruas durante o cruzeiro. Os vulneráveis ​​sempre foram seu alvo.

Além de um fascínio mórbido em aprender os fatos, esta série de Conversas pinta um quadro mais detalhado de seu assunto graças à quantidade de material com o qual Gacy grava uma longa série de desculpas ou justificativas para suas ações.

Da mesma forma, uma entrevista com uma quase vítima sobrevivente é horrível, mostrando um exemplo das técnicas usadas por Gacy.

Vale a pena assistir a conversas com um assassino: as fitas de John Wayne Gacy?

A série é decepcionada por algumas decisões de edição estranhas. Freqüentemente, o 'espaço vazio' entre o arquivo e a filmagem da entrevista é preenchido por tomadas rápidas projetadas para representar o assunto.

Assim, quando Gacy está discutindo sua bissexualidade, alguém decidiu que era necessário cortar as cenas de edição de corpos nus se contorcendo ou posições sexuais simuladas.

Tal ostentação é imprópria quando certamente outras opções estavam disponíveis que poderiam ter destacado a natureza lúgubre do comportamento individual de Gacy. Não passamos da bissexualidade igual a excitação barata?

Conversas com um assassino: as fitas de John Wayne Gacy apresenta com o típico sensacionalismo mal disfarçado da Netflix disfarçado de sinceridade. Faz pequenos pontos próprios além de apresentar o material entrevistado.

Uma crítica mais profunda das falhas da polícia em investigar desaparecimentos, portanto, não é tentada. Considerando a melhor qualidade do material de origem e o punhado de entrevistados esclarecedores, a abordagem 'aceitar como é' é uma oportunidade perdida de contar uma história mais ampla.

Independentemente do exposto, As fitas de John Wayne Gacy é um relógio atraente para os fãs do verdadeiro crime Netflix, mesmo que o próprio Gacy não seja um monstro nem de longe tão inescrutável quanto Ted Bundy era.

Experimente a Apple TV

Se alguma coisa, as Gacy Tapes são mais uma prova, se alguma vez foi necessária, que os mais vulneráveis ​​da sociedade merecem sempre ser ouvidos.

Palavras de Mike Record

bom

  • Grande quantidade de material inédito
  • Entrevistados atraentes
  • A estrutura narrativa acompanha a história

Mau

  • Evita o contexto mais amplo
  • Inserções berrantes insensíveis
  • No meio do caminho, os assassinatos estão apenas preenchendo os detalhes
6.5

Feira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar tese HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>