Eu sou mãe

Eu sou mãe

Filme Netflix
Assista agora
8.7

Ótimo

Após um apocalipse global, uma jovem é criada por um robô em um abrigo subterrâneo. Mas seu vínculo único é ameaçado quando um estranho inexplicável chega com notícias alarmantes. I Am Mother é um thriller de ficção científica sólido com bastante ritmo e reviravoltas.

A ficção científica está repleta de robôs desconcertantes. Eles podem ser abertamente assassinos, como o Terminator. Eles podem estar ficando um pouco loucos, como em 2001 HAL. Ou eles podem estar seguindo sua programação para uma lógica inesperadamente letal, conforme Eu sou robô.

Então, onde está a 'Mãe' titular neste canhão? Bem, a habilidade de Eu sou da mãe O roteiro é que, para uma grande parte do filme, há dúvidas razoáveis ​​o suficiente para mantê-lo adivinhando.

Essa ambigüidade é estabelecida desde as primeiras cenas, quando vemos a Mãe ser ativada enquanto um pergaminho de introdução afirma que um evento de extinção está em andamento. Em um bunker subterrâneo que balança com explosões distantes, a mãe delicadamente seleciona um feto minúsculo de uma prateleira de humanos prontos para ir, executa-o em um ciclo de velocidade de 24 horas e então - ping - o primeiro novo bebê humano chega. Auxiliado por Rose ByrneCom a voz cálida e cadenciada, a mãe cria a criança (simplesmente chamada de 'Filha') com todo o afeto aparente.


Claro, à medida que a Filha (Clara Rugaard) fica mais velha, ela se torna mais curiosa quanto à sua situação. — Já lhe dei motivos para duvidar de mim? diz a mãe, baixinho. No entanto, a narrativa apresentada é abalada quando há uma batida na porta, e Filha secretamente deixa entrar uma mulher ferida e de olhos arregalados (Hilary Swank, Longe) que, segundo a mãe, não deveria ter conseguido sobreviver ao ar livre.

Quando o mundo inteiro é um bunker selado e só temos dois personagens (um deles um grande robô) para ver interagir, é uma prova tanto da atuação de Rugaard quanto do design de Mother (cortesia de Weta Workshop) que este é tão envolvente.

Os movimentos da mãe são suaves e suaves, com inclinações sutis da cabeça para transmitir emoção. Não há nenhum proxy de 'rosto humano'. Além de dois pequenos parafusos que meio que poderiam formar o estranho sorriso irônico, a empatia está toda nos movimentos do corpo.

Claro, isso torna ainda mais desconcertante quando a Mãe se senta ereta e se lança em uma corrida de costas retas assim que a Filha abre a câmara externa. O terror de Swank ao ver a mãe (“Você tem um droide aqui!” ela sibila) revela lentamente uma narrativa alternativa. A filha é claramente inteligente, mas seu amor pela mãe está lá na tela e Rugaard oferece um bom desempenho como alguém que quase não suporta aprender sua 'verdade' pode não ser assim.

Eu sou mãe é muito forte no primeiro e segundo atos. Depois de estabelecer a norma, a aparência de Swank sacode os acontecimentos e o filme habilmente faz com que ambas as explicações pareçam igualmente críveis. Não é até o início do ato final até que mais informações sejam reveladas lentamente.

E apesar das armadilhas de ficção científica de eventos de extinção e robôs movidos a IA, para uma grande parte do filme você poderia facilmente trocar a mãe robótica por uma humana e ainda ter as mesmas interações, o que é um crédito para a mãe bem realizada. é.

Dito isso, o último ato também se esgota um pouco. Assim que chegarmos ao mundo exterior Eu sou mãe começa a se apoiar nos tropos do gênero e perde o triunvirato habilmente trabalhado de Mãe, Filha e Mulher.

Sem revelar o final, eu diria que estou desinteressado em filmes que minam todos os eventos anteriores para embrulhar as coisas muito bem. No entanto, para um filme que tem tão poucos personagens, Eu sou da mãe O forte fio temático da maternidade em todas as suas formas contribui para um poderoso tiro final que encerra com sucesso 113 minutos muito agradáveis.

Experimente a Apple TV

Um pai pode apenas preparar seu filho para uma vida independente, e o diretor Grant Sputore entregou um pacote de alegria aqui do qual ele pode se orgulhar.

Palavras de Michael Record

bom

  • Muito forte nos primeiros dois atos
  • Robô incrivelmente realizado
  • Rugaard é uma joia

Mau

  • Enredo muito legal encerrado
  • Último ato é tarifa normal
8.7

Ótimo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar tese HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>