Osmose

Osmose

Netflix Série
Assista agora
9.1

Surpreendente

E se você pudesse descobrir quem é sua alma gêmea? Não por namoro e esperança, mas por um implante que lhe diz sem sombra de dúvida qual seria o rosto do seu par perfeito? Você gostaria de saber? Osmose é como o filho do amor de Black Mirror e Humanos.

E se você pudesse descobrir quem era sua alma gêmea? Não através de namoro ou reality shows como Bestas Sexy, mas através de um implante que te diz sem sombra de dúvidas qual seria o rosto do seu par perfeito? Você gostaria de saber? Esta é a premissa interessante e absorvente do show francês 'futuro próximo', Osmose.

Osmose é um aplicativo de namoro discado até o enésimo grau. É um mundo onde qualquer um pode usar um headset de realidade virtual e praticar sexo eletrônico casual.

BUT Osmose visa se destacar da multidão, decodificando o cérebro subconsciente e identificando a única alma gêmea para você. Participamos do programa da Netflix quando o produto entra no teste beta e vemos as jornadas de alguns candidatos-chave à medida que a tecnologia procura eliminar as suposições do amor verdadeiro.


Há sim uma pitada de Black Mirror e uma grande quantidade de Channel 4's Humanos na apresentação de Osmose. Mas, ao contrário desses dois, há um calor muito europeu mantendo-o unido.

A suave música techno é fundida com uma lânguida estética tecnológica do "futuro próximo". A normalidade do mundo exterior é contrastada pela Osmose escritórios com luzes pontiagudas e pulsantes. Mas habilmente Osmose não é absorvido em sua própria tecnobabléia. As jornadas dos personagens são bem ritmadas e me mantiveram fascinado ao longo dos 8 episódios curtos.

O espetáculo explora as repercussões Osmose em três testadores beta chave. Lucas está dividido entre seu marido perfeito e sua ex traidora e quer saber quem escolher.

Ana é uma mulher atarracada com baixa auto-estima que combina com o personal trainer super em forma Simon. E Niels, um adolescente viciado em pornografia confesso, está procurando por amor para curá-lo de sua doença. Essas subtramas se entrelaçam com a principal, ao mesmo tempo em que fazem justiça suficiente aos seus próprios elementos.

Os personagens centrais são Paul e Esther Vanhove (Agathe Bonitzer), enigmáticos fundadores da Osmose. A história de sucesso da alma gêmea de Paul com Josephine é quebrada quando ela sai (ou ela foi sequestrada) abrindo a história para espionagem corporativa.

O que acontece quando você confia na tecnologia para confirmar quem é? E o que acontece se você perder a única alma gêmea que você terá? Esther, ao contrário, é fria, mas solitária. Sua dureza é temperada por uma trama que a faz tentar ressuscitar sua mãe do coma. Bem como os métodos eticamente duvidosos que ela usa ao longo do caminho.

Mesmo em tudo isso, o show tem outras grandes facetas. Como a dependência de Osmose em inteligência artificial chamada 'Martin', que acontece de misteriosamente falhar em alguns pontos.

Ou a trama de aquisição corporativa que borbulha sob a superfície. E depois há o efeito da dependência de um vazio negro conhecido como 'espaço virtual' onde duas almas gêmeas implantadas podem se unir euforicamente em conforto giratório nu.

Isso não é excitação. É uma cinematografia maravilhosamente coreografada e emotiva. Embora dito isso, há muita indulgência sexual muito francesa também…

Experimente a Apple TV

Minha única crítica seria que o final parece que simplesmente ficou sem tempo e alguns fios da trama foram deixados pendurados. Com uma qualidade tão alta, meus dedos estão definitivamente cruzados para a segunda temporada.

Palavras de Michael Record

bom

  • Povoado com grandes personagens
  • Trilha sonora, recursos visuais e personalidade
  • Moralidade vs questões da natureza humana

Mau

  • Termina um pouco abruptamente
  • A frieza de Esther pode irritar um pouco
9.1

Surpreendente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar tese HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>