The Dark Crystal

The Dark Crystal

Filme Netflix
Veja agora
8.3

Ótimo

9.9

Média do usuário

No filme original de 1982, The Dark Crystal, de Jim Henson, Jen, o último Gelfling da raça, tem a tarefa de localizar o "fragmento" ausente do Cristal. Empreendendo uma viagem perigosa ao coração do malvado Skeksis, será que ele conseguirá deter o reinado do terror neste clássico cult de fantasia?

The Dark Crystal, da Jim Henson Company (também criadores de Fraggle rock), é um conto de alta fantasia ambientado na terra de Thra. Embora não seja massivamente lucrativo no momento do lançamento em 1982, o filme cult cresceu em pé nos mais de 35 anos desde que chegou aos cinemas. Até o ponto em que uma série prequel de 10 partes foi encomendada pela Netflix, com lançamento previsto para 30 de agosto. Então, ele resiste ao teste do tempo?

Embora Henson fosse mais conhecido pelos Muppets, The Dark Crystal é um conto mais sombrio. Os malvados Skeksis extraem força vital infinita do Cristal e usam seu poder para devastar a terra de Thra. Outras raças vivem com medo e se escondendo. Devido a uma profecia de que seu reinado seria encerrado por um Gelfling, os Skeksis mataram todos os Gelflings há muito tempo. Mas sem o conhecimento deles, um bebê Gelfling chamado Jen sobreviveu. Jen é encontrada pelos pacíficos e sábios místicos, que a educam em segredo até a maioridade. E então Jen deve localizar o 'fragmento' perdido do Cristal e empreender uma jornada perigosa para o coração dos Skeksis.

The Dark Crystal é rico em esplendor visual. A tela está sempre repleta de detalhes, mesmo além dos personagens principais interpretados de maneira impressionante. Flora e fauna (todas marionetes) esvoaçam e a coisa toda recebe uma fantasia 'neblina' (devido a uma técnica especial de filmagem com lentes) para que a ação pareça mais mágica. Mesmo depois de todo esse tempo, Dark Crystal é lindo de se olhar.


Em termos de enredo, estes são um pouco mais padronizados. Qualquer pessoa, mesmo remotamente familiarizada com a fantasia, reconhecerá o tropo 'escolhido para restaurar uma terra quebrada'. Como muitos de sua laia, The Dark Crystal esgota seu primeiro quarto de hora com a construção de um mundo pesado. Voiceovers explicam a terra de Thra, os Skeksis, os Gelflings e os Mystics. Até mesmo Jen, nosso antigo protagonista, passa a maior parte de seu tempo inicial na tela se comunicando por narração. Isso pode estar preparando a base para os Atos posteriores, mas é desajeitado, enfadonho e datado.

Quando Jen conhece o astrônomo Aughra e tem alguém com quem conversar, as coisas melhoram. Aughra (fantoche de Frank Oz muito parecido com seu personagem mais conhecido, Yoda da Guerra nas Estrelas série) é toda uma velhinha rabugenta e seu diálogo direto acrescenta um humor muito necessário ao filme. A partir daí, Jen se junta a Kira e sua coisa agressiva e mal-humorada favorita dos fãs: Fizzgig. Sua jornada para o castelo inclui muitos outros elementos fantásticos que os fãs de A História Sem Fim, Willow ou mesmo Senhor dos Anéis vai gostar. The Dark Crystal poderia ser chamado de Tolkien-lite sem caridade, mas para ser justo, a maior parte da fantasia era Tolkien-lite nos anos 80.

Jen é uma personagem tão em branco (ele simplesmente faz o que deve fazer com pouco barulho) que muito da personagem de The Dark Crystal é carregado pelo briguento e conivente Skeksis. Essas coisas do tipo pássaro / dragão / lagarto embaralhando preenchem a tela com um encanto escorrendo. A trama lisonjeira do Chamberlain contrasta com a força teimosa do General. O cientista perambulando por seu laboratório para que ele possa sugar a força vital de animais e personagens oferece mais personalidade que Jen pode reunir por toda parte. Não é de admirar que os Skeksis sejam a imagem cativante de Dark Crystal.

Elogiado como um grande passo em frente para os fantoches de ação ao vivo (e creditado como o primeiro filme de ação ao vivo sem um personagem humano) The Dark Crystal's as criações de criaturas são todas excelentes. Os gigantescos Skeksis e pequenos Gelflings parecidos com ninfas são trazidos à vida usando uma combinação de atores fantasiados, fantoches e eletrônicos. Os pequenos Podlings serão familiares para os fãs dos Muppets na forma como se movem, mas os Peregrinos da Terra de pernas compridas ou Garthim enormes como besouros são tão sobrenaturais que você nem consegue imaginar a pobre pessoa sofrendo dentro dele fazendo tudo funcionar!

Para a maior parte The Dark Crystal envelheceu bem. Falta o charme exagerado do filme posterior de Henson, Labirinto, sim, e a trama é um tanto superficial (especialmente durante os 15 minutos desajeitados de abertura). Mas independentemente da pura maravilha criativa na tela é infinitamente atraente e o mundo criado por Henson é maduro para expansão na próxima série.

Palavras de Michael Record

Bom

  • Ainda parece deslumbrante
  • Atmosfera icônica
  • O Skeksis

Mau

  • Abertura desajeitada 15 minutos
  • Jen tem pouco caráter
  • Enredo de fantasia padrão
8.3

Ótimo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar tese HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>